Compartilhe nas redes sociais!

Na segunda e terceira semanas de abril, técnicos do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio) visitaram propriedades rurais nos principais municípios produtores de Mato Grosso do Sul para verificar como está o desenvolvimento da segunda safra de milho no estado. As informações levantadas foram divulgadas na sexta-feira (28) pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul).

De acordo com o balanço, duas regiões tiveram pouca incidência de chuvas na última semana: o sudoeste do estado, onde nenhuma precipitação foi registrada, e o norte de MS, onde a precipitação média acumulada foi de 10 mm em propriedades localizadas em Sonora.

A região com maior índice de precipitações é a sul-fronteira, onde a média acumulada foi de 69 mm em propriedades situadas em Amambai, além de 59 mm em Aral Moreira e 57 mm em Ponta Porã.

As informações completas estão disponíveis na íntegra na internet, por meio de cadastro no link: www.aprosojams.org.br, na aba SigaWeb.

Doenças e pragas

Em todas as propriedades visitadas de Mato Grosso do Sul, não foi registrada nenhuma incidência de doenças, mas há relatos de presença de algumas plantas daninhas e pragas como cigarrinha, percevejo e capim amargoso em todas as regiões. No entanto, a situação é controlada em todas essas localidades.

Ao norte, foram registrados ataques de porcos selvagens a plantações, principalmente em propriedades localizadas em Costa Rica e em Chapadão do Sul, assim como em lavouras do município de São Gabriel do Oeste.

Vendas

Em relação à comercialização, até a última segunda-feira, dia 24, Mato Grosso do Sul teve 10,15% da segunda safra de milho já negociados, de acordo com dados da Granos Corretora. Neste mesmo período da safra 2015/2016, o índice negociado com antecedência era de 40,82%.

Estimativa de produção

Para o milho segunda safra 2016/2017, a estimativa da Aprosoja/MS é que o estado tenha área de 1.800 milhão de hectares, e a projeção é que o volume de grãos colhidos seja de 9.180 milhões de toneladas, com produtividade média estimada em 85 sacas/ha. Esse número estimado é 45,5% superior ao efetivamente alcançado na segunda safra do ano anterior, quando houve quebra na produção de milho devido a questões climáticas. Em 2016, a produtividade média do estado foi de 58,4 sacas/ha.

 

Fonte: Aprosoja/MS

Compartilhe nas redes sociais!