Compartilhe nas redes sociais!

A moagem de cana-de-açúcar pelas usinas do centro-sul do Brasil desde o início do ciclo 2021/2022, em abril passado, acumula uma queda de 9,56%, passando de 538.86 milhões de toneladas, no mesmo período da safra 2020/21, para 487.33 milhões de toneladas.

Os números são do levantamento quinzenal da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), divulgados nesta terça-feira.

No acumulado desde o início da safra 2021/2022 até 16 de outubro, a produção de açúcar foi de 30.35 milhões de toneladas, em comparação com as 34.68 milhões de toneladas produzidas no mesmo período do ciclo 2020/2021 (- 12,49%).

A produção acumulada de etanol totalizou 24.03 bilhões de litros, dos quais 9.48 bilhões de litros de etanol anidro (+ 19,86%) e 14.55 bilhões de litros de etanol hidratado (- 17,93%). Do volume total, 1.78 bilhão de litros do biocombustível foram produzidos a partir do milho.

Compromisso

O diretor técnico da Unica, Antônio de Pádua Rodrigues, informou em nota que, “mesmo com a retração da moagem, as empresas seguem compromissadas com o cumprimento da mistura obrigatória.

Além do aumento do mix de produção de etanol anidro, nesta quinzena houve um reprocesso de mais de 100 milhões de litros de etanol hidratado em etanol anidro, o maior volume quinzenal registrado nessa safra”.

Segundo a entidade, até o final de setembro, a queda na produtividade atingiu 15,50%, com 82,4 toneladas de cana por hectare no ciclo passado e 69,6 toneladas por hectare na safra atual.

Área

Estima-se que a área colhida durante o período foi de 6.72 milhões de hectares, registrando um aumento de 10,30% em relação a área colhida até setembro de 2020. Até o momento, essa área deve representar cerca de 89% do total disponível para colheita na safra 2021/2022.

ATR

No acumulado desde o início da safra até 16 de outubro, o indicador de concentração de açúcares assinala 143,24 kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar, uma retração de 0,75% em relação ao valor observado no ciclo 2020/2021. O mix de produção, até a 16 de outubro, registrava 54,38% para o etanol.

Processamento

As usinas de cana-de-açúcar do centro-sul processaram 19.69 milhões de toneladas do produto na primeira metade de outubro da safra 2021/22, o que representa uma queda de 46,77% em relação ao volume da mesma quinzena da safra 2020/2021 (36.99 milhões de toneladas).

O Estado de São Paulo registrou moagem de 11.02 milhões de toneladas (-49%) e nos demais estados da região centro-sul o volume processado na quinzena foi de 8.67 milhões de toneladas (- 43,65%).

Açúcar e etanol

Segundo comunicado da Unica, em virtude do baixo volume de processamento de matéria-prima na quinzena, houve uma queda generalizada na produção de açúcar e etanol de cana.

A produção de açúcar foi reduzida em 56,28% nos últimos 15 dias do mês e totalizou 1.15 milhões de toneladas, contra 2.62 milhões de toneladas produzidas no mesmo período do ano anterior. Já a produção quinzenal de hidratado foi de 647 milhões de litros, registrando uma queda de 50,68%.

A Unica informou que, a despeito do aumento do volume da matéria-prima destinada a produção do etanol anidro, cujo percentual foi de 30,10% em relação aos 20,80% no mesmo período na safra anterior, a produção do aditivo, em virtude da queda na moagem, diminuiu 22,53%, totalizando 590 milhões de litros.

Assim, a produção total de etanol foi de 1.237 bilhão de litros, com queda de 40,33% em relação ao mesmo período do ano passado.

Alteração no mix

Rodrigues destacou em nota que, “apesar dos preços atraentes do açúcar no mercado externo, as unidades açucareiras deixaram de produzir mais de 1 milhão de toneladas do adoçante como resultado da alteração no seu mix de produção, procurando atender seus compromissos com os contratos de açúcar e, concomitantemente, aumentar a oferta de etanol no mercado interno”.

Unidades

Segundo a Unica, o número de unidades operando até 16 de outubro foi de 195 empresas. Até o momento, 67 empresas já terminaram a produção no ciclo 2021/2022. Está previsto o encerramento de mais 83 unidades produtores para a segunda quinzena de outubro.

As unidades que encerraram a safra até a primeira quinzena de outubro tiveram uma redução de moagem em relação à safra passada de 21,90%.

A qualidade da matéria-prima na primeira quinzena de outubro, mensurada a partir da concentração de açúcares totais recuperáveis por tonelada de cana-de-açúcar, registrou 156,19 kg de ATR por tonelada, com queda de 4,89% em relação aos 164,21 do ciclo passado.

 

Fonte: Broadcast Agro

Equipe SNA

Compartilhe nas redes sociais!