Compartilhe nas redes sociais!

A produção de carne suína da China em 2022 aumentou 4,60% em relação a 2021, registrando o nível mais alto desde 2014, mostraram os dados oficiais do governo nesta terça-feira, confundindo algumas expectativas de um aumento menor.

O volume de carne suína produzido em 2022 totalizou 55.41 milhões de toneladas, contra 52.96 milhões de toneladas registradas em 2021. Esse foi o maior resultado desde as 56.71 milhões de toneladas obtidas oito anos atrás.

O volume foi impulsionado pela alta produção no quarto trimestre de 13.91 milhões de toneladas, segundo cálculos da Reuters sobre os dados do Escritório Nacional de Estatísticas. Isso representou um aumento de 0,87% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, apesar da escassez de mão de obra nos matadouros devido aos surtos de Covid.

Os produtores criaram suínos mais pesados, esperando se beneficiar de uma recuperação antecipada na demanda e nos preços, fator que poderia ter impulsionado a produção. No entanto, a demanda permaneceu morna por causa do aumento de casos da Covid-19 na China, que manteve muitas pessoas em casa, fazendo com que os preços caíssem.

“A produção de ração foi fraca ao longo de 2022 e também vimos isso refletido no menor volume anual de importações de soja. É difícil conciliar esse número mais alto de produção de carne com os declínios observados na produção de ração e nas importações de soja”, disse Darin Friedrichs, cofundador da consultoria agrícola Sitonia Consulting, com sede em Xangai.

Questionamento

Os dados mostram que a produção de carne suína da China aumentou a cada trimestre em relação ao ano anterior nos últimos dois anos, apesar da demanda fraca.

“Não ouvi dizer que há muito armazenamento, então já precisa ser consumido, o que é difícil de explicar”, disse outro analista de pecuária, se recusando a ser identificado devido à sensibilidade do questionamento dos dados oficiais.

Uma alta nos preços durante o verão encorajou os fazendeiros a engordar os porcos mais do que o normal para aumentar seus lucros.

Embora tenha diminuído, o peso médio dos suínos vivos ainda estava alto, em cerca de 124,5 kg (275 libras) na semana passada, segundo analistas da Huachuang Agriculture. Isso continuará pressionando os preços, disseram eles, em nota divulgada em 15 de janeiro.

Consumo

O consumo de carne deve melhorar após a reabertura da China de uma rígida política do Covid de três anos, com mais jantares em grupo e reuniões de negócios para atender à demanda.

No entanto, alguns acreditam que o consumo de carne suína pode não se recuperar aos níveis anteriores ao surto de Peste Suína Africana (PSA) na China, que começou em 2018, com muitos ainda cautelosos com as reuniões lotadas.

A produção de carne bovina da China aumentou 3% no ano passado, para 7.18 milhões de toneladas, indicaram os dados oficiais, enquanto a produção de aves aumentou 2,60%, para 24.43 milhões de toneladas. Em relação à carne de cordeiro, houve aumento de 2%, para 5.25 milhões de toneladas.

Fonte: Reuters
Equipe SNA
Compartilhe nas redes sociais!