Compartilhe nas redes sociais!

Presidente da Rural, Cesario Ramalho da Silva, entrega prêmio ao presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão

 

Na última segunda-feira, 20, a Sociedade Rural Brasileira festejou seus 94 anos com uma celebração que reuniu as maiores lideranças do agronegócio brasileiro e personalidades políticas, entre elas o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o vice-governador do estado de São Paulo e ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, a senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). A comemoração foi marcada pela entrega do prêmio “A Rural” ao presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão.

Em seu discurso, o presidente da Sociedade Rural Brasileira, Cesario Ramalho da Silva, lembrou a relação de Mello Brandão com o campo e o início de sua carreira como escriturário na Casa Bancária Almeida & Cia., instituição financeira que posteriormente se transformou no Banco Brasileiro de Descontos, hoje o Bradesco.

O homenageado disse considerar um privilégio ter amigos em uma entidade que “faz brilhante papel em um país agrícola”. “É uma entidade que o Bradesco respeita, por ser nascido no interior e ser ligado ao setor”, ressaltou.

Durante a celebração, Cesario Ramalho da Silva relembrou a atuação da SRB ao longo dessas nove décadas à frente de questões econômicas, políticas e sociais como representante e defensora do produtor rural e, também, da sociedade. “Nós contribuímos, e continuamos contribuindo, para que o agronegócio brasileiro alcance continuadamente o mais alto nível de representação tecnológica, econômica e social em termos mundiais em favor do desenvolvimento socioeconômico do Brasil”, destacou.

Antonio Alvarenga, presidente da SNA, Afif Domingos e Américo Utumi, assessor da presidência do Sescoop-SP

Segundo Ramalho, no entanto, alguns entraves ainda precisam ser superados para que não se tornem ameaças ao agronegócio e, consequentemente, tenham influência negativa em outros segmentos da economia. Ele cita como obstáculos mais proeminentes a baixa cobertura do seguro rural e a deficiente infraestrutura logística, fatores que sequestram a renda do produtor e das empresas, e encarecem os preços ao consumidor.

“Estas são questões estruturais que atravancam o crescimento do agronegócio, abrem espaço para a concorrência de outras nações produtoras agrícolas, com desdobramentos negativos para o país, e que precisam urgentemente de soluções viáveis e concretas”, afirmou Ramalho.

Fernando Henrique Cardoso e a senadora Kátia Abreu

Durante a solenidade, a senadora Kátia Abreu defendeu a necessidade de um Plano Agrícola e Pecuário (Plano de safra) – que será anunciado no início de junho – com prazo intermediário de 18 meses, capaz de evoluir para um plano de quatro a cinco anos de vigência, que permita um planejamento adequado da atividade, com melhor gerenciamento da compra dos insumos e da comercialização dos produtos.

A presidente da CNA comemorou ainda a aprovação, pelo Congresso Nacional, da Medida Provisória 595, que permite investimentos privados na construção de novos portos. “Agora, podemos ter a tranquilidade de aumentar nossa produção porque nossas exportações estarão garantidas de forma eficiente. Daremos fim aos prejuízos que têm sido impostos ao agronegócio brasileiro”, afirmou.

Com informações de Renato Scardoelli (assessoria da SRB)

 

VEJA MAIS

Clique aqui para ver uma matéria do Canal Rural sobre a comemoração.

Veja aqui uma matéria do Uol sobre o aniversário.

Cobertura completa no site da Sociedade Rural Brasileira

Compartilhe nas redes sociais!